Helder Trefzger - Oficina de Prática de Orquestra

Gilmar Ferreira Oficina de trombone no festival de inverno

Helder Trefzger

Oficina de Prática de Orquestra

Atual diretor artístico e maestro titular da Orquestra Sinfônica do Estado do Espírito Santo, o maestro HELDER TREFZGER estudou em algumas das principais universidades brasileiras, como a UFRJ, a UFMG e a UnB e teve aulas complementares com professores de renomadas instituições de ensino musical, como o Conservatório de Moscou, a Manhattan School of Music, e a Arts Academy - Istituzione Sinfonica di Roma. É Mestre em Música (Regência – Práticas Interpretativas) e Bacharel em Música – Regência.

Teve como principais professores o maestro e compositor Cláudio Santoro, além dos maestros David Machado, de quem foi assistente e Roberto Duarte. Outros professores importantes na sua formação musical foram: Gerald Kegelmann, Igor Bezrodny, Francesco La Vecchia, Ivan Kojuharov, Oleh Krysa, Ernani Aguiar, Emilio de Cesar, Oiliam Lanna, Bohumil Med, Alberto Jaffé e Edson Queiroz de Andrade.

Já dirigiu, como maestro convidado, algumas das principais orquestras brasileiras, como a Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e as orquestras sinfônicas de Porto Alegre, Minas Gerais, Campinas, Sergipe, Mato Grosso, Brasília, Bahia e Paraíba, além da Orquestra Sinfônica da UFRJ e da Orquestra Filarmônica Nova (MG), dentre outras. Dirigiu ainda a Orquestra Artave (Portugal), a Sinfônica de Monterrey (México), a Philharmonia Kalisca, Czestochowa Philharmonia e Filharmonia Opolska (Polônia), a Sinfônica da Universidade de La Serena (Chile), a Sinfônica Nacional da Bolívia, a Sinfônica Nacional do Paraguai, a New World Young Orchestra (Brasil, Itália e Bulgária) e a Orquestra Sinfônica de Bourgas (Bulgária). Em Montenegro dirigiu a Festivalski Orkestar Kotorart e em Portugal realizou um concerto com a Orquestra Filarmonia de Gaia, na cidade do Porto. Na Itália, dirigiu algumas apresentações à frente da Orchestra Sinfonica di Roma, no Auditório della Conciliazione (Vaticano). Gravou a trilha sonora do filme Lamarca, de Sérgio Rezende, música de David Tygel e o CD "Melodiário", com músicas do compositor Jaceguay Lins.

Recebeu o Título de Cidadão Vitoriense, outorgado pela Câmara Municipal de Vitória em 2001 e o Título de Cidadão Espírito-Santense, concedido pela Assembléia Legislativa em 2004, que lhe concedeu também a sua mais alta distinção, a Comenda Domingos Martins. Em 2017, ao completar vinte e cinco anos à frente da Sinfônica do Espírito Santo, o Governo do Estado outorgou-lhe também a sua mais alta distinção, a Comenda Jerônimo Monteiro. É membro do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo e da Academia de Letras e Música do Brasil – ALMUB, onde ocupa a cadeira de número 10, com a patronímica de Carlos Gomes.